Honrando o convite

Publicado em 07/08/2011

Mateus 22:1-14

(1) Jesus lhes falou novamente por parábolas, dizendo:
(2) "O Reino dos céus é como um rei que preparou um banquete de casamento para seu filho.
(3) Enviou seus servos aos que tinham sido convidados para o banquete, dizendo-lhes que viessem; mas eles não quiseram vir.
(4) "De novo enviou outros servos e disse: ‘Digam aos que foram convidados que preparei meu banquete: meus bois e meus novilhos gordos foram abatidos, e tudo está preparado. Venham para o banquete de casamento! ’
(5) "Mas eles não lhes deram atenção e saíram, um para o seu campo, outro para os seus negócios.
(6) Os restantes, agarrando os servos, maltrataram-nos e os mataram.
(7) O rei ficou irado e, enviando o seu exército, destruiu aqueles assassinos e queimou a cidade deles.
(8) "Então disse a seus servos: ‘O banquete de casamento está pronto, mas os meus convidados não eram dignos.
(9) Vão às esquinas e convidem para o banquete todos os que vocês encontrarem’.
(10) Então os servos saíram para as ruas e reuniram todas as pessoas que puderam encontrar, gente boa e gente má, e a sala do banquete de casamento ficou cheia de convidados.
(11) "Mas quando o rei entrou para ver os convidados, notou ali um homem que não estava usando veste nupcial.
(12) E lhe perguntou: ‘Amigo, como você entrou aqui sem veste nupcial? ’ O homem emudeceu.
(13) "Então o rei disse aos que serviam: ‘Amarrem-lhe as mãos e os pés, e lancem-no para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes’.
(14) "Pois muitos são chamados, mas poucos são escolhidos".

É incrível pensar que alguém possa maltratar os servos do Rei que o convida para o casamento de seu filho.

É incrível ver que resposta má muitas vezes estamos dando à intenção divina de nos fazer o bem.

O castigo divino é justo porque não há chamado mais honroso que um homem possa receber do que ser convidado para a eterna “festa” celestial.

Muitas vezes não compreendemos o bem que Deus quer nos fazer. Somos como o animal ferido que quer atacar aquele que o quer ajudar.

E estamos feridos porque o pecado nos conturbou a mente e os sentidos (II Coríntios 4.4)
É muito comum a rejeição a Deus por não querermos perder as coisas desta vida.

Outras vezes, entretanto, pecamos por não compreendermos o quanto é importante nos prepararmos para participar desse dia glorioso.

A sala estava cheia de gente de todo tipo, e isto fala de todos nós. Mas havia um que não estava vestido adequadamente para a festa.

O rigor com que o Rei o trata se explica pelo fato de que ele mesmo, certamente, supriu as vestes para todos. Mas aquele homem desprezou a etiqueta da casa. Desprezou as vestes apropriadas que havia recebido. Não respeitou o padrão que não poderia ser quebrado naquela casa real.

"Foi-lhe dado para vestir-se linho fino, brilhante e puro". O linho fino são os atos justos dos santos. E o anjo me disse: "Escreva: Felizes os convidados para o banquete do casamento do Cordeiro!" E acrescentou: "Estas são as palavras verdadeiras de Deus". (Apocalipse 19:8-9)

As vestes festivais representam uma vida transformada e um comportamento justo. E o Senhor é quem supre isto, transformando nosso coração, para que tenhamos uma vida de santidade.

Assim, há duas atitudes que produzem condenação:

1. A atitude dos que rejeitam o convite;

2. A atitude do que aceita, mas não honra o convite, deixando de vestir-se adequadamente.

Ó, Senhor, te dou graças porque me amaste na minha desgraça e me convidaste para a tua casa. Agora, ajuda-me a honrar-te vestindo-me da Tua justiça.



 Compartilhar no Whatsapp

NEWSLETTER

Outras mensagens do Presidente

Use a barra de rolagem para ver outras postagens