Auxílio aos que obedecem

Publicado em 27/07/2011

Oi. Os atrasos em transcrever minhas meditações têm sido devidos às viagens e muitas ocupações nestes dias. Espero ter sua compreensão.
Aí vai a meditação de hoje, seguindo a leitura do Novo Testamento que fazemos na IMUB.


Atos 27:21-26
(21) Visto que os homens tinham passado muito tempo sem comer, Paulo levantou-se diante deles e disse: "Os senhores deviam ter aceitado o meu conselho de não partir de Creta, pois assim teriam evitado este dano e prejuízo.
(22) Mas agora recomendo-lhes que tenham coragem, pois nenhum de vocês perderá a vida; apenas o navio será destruído.
(23) Pois ontem à noite apareceu-me um anjo do Deus a quem pertenço e a quem adoro, dizendo-me:
(24) ‘Paulo, não tenha medo. É preciso que você compareça perante César; Deus, por sua graça, deu-lhe as vidas de todos os que estão navegando com você’.
(25) Assim, tenham ânimo, senhores! Creio em Deus que acontecerá do modo como me foi dito.
(26) Devemos ser arrastados para alguma ilha".


Muitas vezes temos uma visão errada da bênção. Achamos que tudo tem que estar nas melhores condições para que possamos sentir segurança da presença de Deus conosco.


José não parecia estar prosperando na cova, nem no mercado de escravos, nem na masmorra... Mas estava crescendo no plano de Deus.


Paulo não tinha o controle de nenhuma situação, mas por estar em obediência, mesmo como prisioneiro e em meio a uma tempestade mortal, estava prosperando no plano de Deus.


Assim, podemos afirmar o mesmo que o salmista: “Deus é o nosso refúgio e a nossa fortaleza, auxílio sempre presente na adversidade.” (Salmos 46:1), e podemos estar certos de que receberemos sempre o auxílio do Senhor quando estivermos obedecendo.


Veja os auxílios que Paulo recebeu e que nós também recebemos ao obedecermos a Deus:


1. Orientação em meio à desordem (versículos 23, 24)


Quando estamos andando com o Senhor, mesmo em meio à maior tempestade, o seu Anjo nos dará a orientação necessária.


2. Salvação dos que nos acompanham (versículos 24 e 44)


Paulo certamente estava orando não apenas por seus interesses, mas pela vida de todos que estavam com ele.


Deste modo, podemos confiar nele para a salvação daqueles que vão na viagem conosco.


"Creia no Senhor Jesus, e serão salvos, você e os de sua casa". (Atos 16:31) e “Mas, eu e a minha família serviremos ao Senhor”. (Josué 24:15)


3. Graça e autoridade diante dos homens (versículos 31-43)


Seu conselho passa a ser ouvido atentamente (versículos 31, 32)


Sua palavra adquire autoridade e seu exemplo é seguido (versículos 33-36)


Por amor dele os demais prisioneiros não foram mortos... (versículos 42 e 43)


4. Cumprimento do propósito que ele estabeleceu e pôs no nosso coração


A Ilha de Malta foi alcançada pela Palavra de Deus.


Paulo chega a Roma para sua missão naquele lugar.


Assim, apesar das provas, devemos considerar glorioso sofrer pelo nome do Senhor Jesus Cristo e fazer a vontade dele.


Paulo prosperou naquilo para que o que Deus o havia designado. Assim acontece com o mensageiro como com a Palavra.


“assim também ocorre com a palavra que sai da minha boca: Ela não voltará para mim vazia, mas fará o que desejo e atingirá o propósito para o qual a enviei.” (Isaías 55:11)


“Ora, se somos filhos, somos também herdeiros, herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo; se com ele sofremos, também com ele seremos glorificados.” (Rm 8.17)


“Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo e não somente de crerdes nele” (Fp 1.29)


Até onde vai o nosso compromisso com Cristo? Será que o estamos obedecendo em tudo para podermos contar com o seu auxílio em meio à tribulação?



 Compartilhar no Whatsapp

NEWSLETTER

Outras mensagens do Presidente

Use a barra de rolagem para ver outras postagens