Outro Rei

Publicado em 11/07/2011

Atos 17:2-7
(2) Segundo o seu costume, Paulo foi à sinagoga e por três sábados discutiu com eles com base nas Escrituras,
(3) explicando e provando que o Cristo deveria sofrer e ressuscitar dentre os mortos. E dizia: "Este Jesus que lhes proclamo é o Cristo".
(4) Alguns dos judeus foram persuadidos e se uniram a Paulo e Silas, bem como muitos gregos tementes a Deus, e não poucas mulheres de alta posição.
(5) Mas os judeus ficaram com inveja. Reuniram alguns homens perversos dentre os desocupados e, com a multidão, iniciaram um tumulto na cidade. Invadiram a casa de Jasom, em busca de Paulo e Silas, a fim de trazê-los para o meio da multidão.
(6) Contudo, não os achando, arrastaram Jasom e alguns outros irmãos para diante dos oficiais da cidade, gritando: "Esses homens que têm causado alvoroço por todo o mundo, agora chegaram aqui,
(7) e Jasom os recebeu em sua casa. Todos eles estão agindo contra os decretos de César, dizendo que existe um outro rei, chamado Jesus".


A acusação dos inimigos de Paulo era que ele e seus companheiros viviam e ensinavam um procedimento que era contrário aos decretos de Cesar, pois afirmavam que Jesus era outro “Rei”.


Esta era uma acusação gravíssima que foi usada contra os cristãos a partir daí e trouxe grande perseguição à igreja nos primeiros séculos, pois, do ponto de vista romano, dizer que se estava seguindo a outro rei implicava em desobediência a César e afronta ao império romano.


Eles acusam os apóstolos dizendo que eles estavam “transtornando” o mundo (versículo 6 na versão Almeida, Revista e Atualizada), numa expressão que literalmente significava “colocar as coisas de cabeça para baixo”, inverter valores, etc.


Embora os apóstolos não ensinassem uma desobediência a César, a verdade central do evangelho é o Senhorio absoluto de Cristo. Ou seja, Jesus é o Rei para os seus discípulos. E não apenas “um” rei, mas “O REI”. O Rei dos reis e Senhor dos senhores.


“Guerrearão contra o Cordeiro, mas o Cordeiro os vencerá, pois é o Senhor dos senhores e o Rei dos reis; e vencerão com ele os seus chamados, escolhidos e fiéis.” (Apocalipse 17:14)


“a qual Deus fará se cumprir no seu devido tempo. Ele é o bendito e único Soberano, o Rei dos reis e Senhor dos senhores.“ (1 Timóteo 6:15)


Isto deve nos fazer avaliar sinceramente a nossa fé.


Na língua grega a acusação dos inimigos era de que os cristãos tinham “costumes” e um “modo de vida” que revelavam que eles pertenciam a outro “reino”, ou outro “fundamento de poder” (do grego “basileus”).


Ou seja, seu comportamento mostrava que pertenciam a outro reino, e proclamavam outro rei.


“Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus ministros se empenhariam por mim, para que não fosse eu entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui.” (João 18:36)


Neste tempo de tanta decepção e vergonha política devemos, mais do que nunca, proclamar outro rei. Mas não somente proclamar com a nossa boca. Precisamos viver de tal maneira que o mundo reconheça que estamos invertendo as coisas, que estamos obedecendo às leis de outro reino, que estamos seguindo outro Rei.


Ajuda-nos, Senhor, a viver como súditos do Teu Reino.



 Compartilhar no Whatsapp

NEWSLETTER

Outras mensagens do Presidente

Use a barra de rolagem para ver outras postagens